Sustentabilidade no canteiro de obras: desafios e soluções

As obras geram diversos impactos durante todo o seu processo, desde a fauna e a flora até a vizinhança do local. Mas o principal afetado é o ambiente que cerca o canteiro, desde o solo e vegetação até a vizinhança, através do descarte incorreto dos resíduos, do uso demasiado de seus recursos, da emissão de gases poluentes da atmosfera, dentre outros.

Segundo o Conselho Brasileiro de Construção Sustentável (CBCS), o setor da construção consome 75% dos recursos naturais, 20% da água nas cidades e gera 80 milhões de toneladas de resíduos por ano. Além disso, há as interferências causadas no solo do terreno. Nesse viés, as construtoras também devem se preocupar em atenuar suas pegadas de carbono, ou seja, o rastro de dióxido de carbono e de outros gases causadores do efeito estufa que são gerados em diversas atividades da obra, desde a produção dos insumos. Por esses motivos, é crucial que empresas e profissionais do ramo da construção adotem medidas que prezam pela sustentabilidade no canteiro de obras. • Sistemas construtivos secos e industrializados Construções a seco são muito mais econômicas por não utilizarem recursos hídricos, o que economiza água. Além disso, utilizam módulos que facilitam o processo por serem fáceis de instalar e remover. Esses sistemas construtivos possibilitaram a redução de 40% na emissão de CO2 nas obras. • Construção dos setores de apoio No canteiro de obras, a sustentabilidade pode ultrapassar a área de produção e abranger também os setores de apoio: o projeto de escritórios e alojamentos pode ser desenhado de forma que aproveite a ventilação cruzada, reduzindo o uso de ar condicionado. Além disso, podem ser instalados dispositivos que aproveitem a luz natural e as águas pluviais, o que reduziria o consumo de energia e água. Por fim, o uso de tapumes feitos de materiais duráveis, para que possam ser reutilizados em outras obras. • Cuidados com a região É indicado que o estoque seja protegido com lona plástica para evitar que o vento ou a chuva espalhem partículas dos materiais. Também que possíveis vazamentos de óleo sejam contidos com uso de serragem ou estopa. É crucial que áreas de preservação permanentes, ambientes frágeis, espécies ameaçadas, lagos e nascentes sejam protegidos com telas de areia e placas de identificação. Por fim, para conter a poeira gerada no canteiro, as pilhas de caliça e as paredes do edifício devem ser umidificados com água de chuva, além das telas ou cortinas ao redor da obra e dos tubos metálicos ligados às caçambas para descartaram entulhos. • Treinamento dos profissionais Tendo em vista que a maioria dos profissionais da construção não trabalham em obras sustentáveis, é imprescindível educar e conscientizá-los sobre a importância do assunto e como colocá-lo em prática. Para isso, são indicados treinamentos periódicos e a fiscalização das tarefas para validar e corrigir o desempenho da equipe. • Tecnologia BIM O BIM, um sistema para modelar construções, integrar processos e fornecer informações como prazos, orçamento disponível e insumos utilizados ajuda a prever possíveis erros na elaboração do projeto e, consequentemente, permite a adoção de medidas preventivas para solucionar os empecilhos, reduzindo gastos, atrasos e utilização de recursos. Para saber detalhes sobre o BIM e seus benefícios, clique aqui. • Energia consciente Para fazer o uso consciente de energia nos canteiros, é indicadoinstalar lâmpadas de LED combinadas a sensores de presença, o que evita o uso quando ninguém estiver presente. Além disso, podem ser usadas fontes renováveis, como painéis fotovoltaicos. Essas medidas devem ser aplicadas em conjunto para garantir que construções sejam executadas da forma mais sustentável possível, valorizando o meio ambiente em todos os seus aspectos, desde a fauna e a flora até a atmosfera. Para mais conteúdos como esse, siga a Brickup nas redes sociais e acompanhe nosso blog.