5 passos para você fazer o mapeamento de processos na sua construtora




Uma obra é composta por diversos processos que duram um longo período, e para garantir que tudo ocorra como devido, dentro dos custos e prazos estipulados, e facilitar a administração do canteiro, é indispensável elaborar um bom mapeamento dos processos.


Sem um mapeamento adequado, os processos podem se tornar complexos ao não contarem com um amplo resumo sobre as decisões a serem tomadas que possa ser acessado por todos os envolvidos no processo. Dessa forma, os gestores do canteiro ficam livres para concentrar seu tempo e sua atenção em questões mais estratégicas e menos técnicas.

Portanto, continue lendo para saber mais sobre o que é o mapeamento de processos, a sua importância e o passo a passo de como fazer o seu.


O que é mapeamento de processos?

Antes de tudo, cabe frisar que o processo consiste em um conjunto de ações relacionadas que são executadas para alcançar um objetivo ou produto determinado anteriormente.

Sendo assim, o mapeamento de processos basicamente identifica as tarefas, pessoas, recursos e resultados envolvidos na ocorrência e organiza da melhor forma possível.


O mapeamento oferece uma visão detalhada sobre tudo que ocorre no processo, desde as entradas e saídas, nível de satisfação do cliente, qualidade dos produtos, custos e prazos, pontos fortes do processos, gargalos, profissionais envolvidos e recursos empreendidos até a apuração e análise dos resultados obtidos.


Qual a importância do mapeamento de processos?

Visando otimizar os processos que constituem a construção civil, o mapeamento pode auxiliar ao:


  • Aumentar a produtividade

O mapeamento permite que os processos sejam realizados com maior objetividade, uma vez que um plano a ser seguido já foi traçado. Assim, não há perda de tempo com decisões tomadas em cima da hora ou com imprevistos que poderiam surgir, o que favorece o aumento da produtividade na construção.


  • Reduzir gastos

Tendo em vista que o mapeamento envolve também um planejamento financeiro e a determinação de prazos, diversos gastos adicionais são poupados pela precisão na administração do tempo e dos insumos utilizados, promovendo a redução de gastos inesperados em processos obsoletos ou imprevistos.


  • Padronizar os processos

Uma vez que o mapeamento permite identificar repetições, fica simples padronizar essas atividades e definir a melhor execução possível para elas, o que otimiza tempo e recursos.


  • Automatizar tarefas

Ao conhecer a fundo os processos, é possível perceber aqueles que não entregam boa produtividade ao serem realizados de forma manual. Assim, essas tarefas podem ser automatizadas para facilitar e oferecer praticidade ao cotidiano da empresa.


Nesse contexto, como exemplo, temos as planilhas convencionais, as quais já se tornaram obsoletas, que podem ser substituídas por um software de gestão, como o Brickup Contractor.

  • Indicar melhorias

O mapeamento de processos possibilita que as decisões sejam tomadas de forma mais assertiva, já que, ao identificar os pontos fracos e fortes da empresa, seus gargalos e suas causas e consequência, fica fácil pensar em melhorias que otimizem esses processos.


Passo a passo para mapear processos

Agora que você já entendeu por que o mapeamento é fundamental, acompanhe o passo a passo da elaboração.


1. Defina a equipe


Inicialmente, é importante definir quais profissionais serão responsáveis por elaborar esse mapeamento. Em seguida, os selecionados devem estudar sobre o processo construtivo da empresa, pensando desde o momento do orçamento até o pós-obra.


2. Construa um fluxo


Nessa etapa, será observada a relação entre um processo e outro e como esse fluxo acontece, identificando adaptações que podem ser implantadas para que o fluxo ocorra sem gargalos e retrabalhos.


3. Revise e faça melhorias


Caso gargalos que atrapalham o fluxo sejam identificados, é imprescindível estudar quais melhorias podem ser realizadas para que os processos fluam. Essa revisão geral pode contar com a participação dos envolvidos na operação para que os mesmos possam compartilhar suas ideias e sugestões.


4. Crie metas e indicadores


A criação de metas é importante para mensurar o sucesso do trabalho que está sendo realizado. Para isso serve os indicadores de qualidade e de produtividade, os quais possibilitam a análise da necessidade de melhorias ou adaptações.


5. Monitore os resultados


Continuar checando os indicadores e verificando o cumprimento das metas é indispensável para que o resultado almejado seja alcançado. Isso porque o mapeamento dos processos pode sofrer alterações para garantir o melhor funcionamento do fluxo de trabalho.


Pronto! Agora você já aprendeu tudo que precisa saber sobre o mapeamento de processos, a importância dele e como ele funciona.


Não deixe de nos seguir nas redes sociais para ter acesso e mais conteúdos como esses e nos contatar caso tenha alguma dúvida ou necessidade!